Categories Destaques

Conheça como funciona a vacinação

A vacinação tem um papel importante na vida de todas as pessoas desde o seu nascimento e têm a função de proteger a população contra diversas doenças. Os benefícios de se vacinar vão além do cuidado pessoal de cada indivíduo. Além de diminuir o número de casos de doenças infecciosas, há uma redução de gastos com medicações, do número de hospitalizações, da mortandade e, muitas vezes, resulta na erradicação de doenças.

O que são vacinas e como elas agem no corpo humano?

As vacinas são substâncias produzidas por meio do agente causador da doença, que é colocado em nosso corpo de forma enfraquecida ou inativo.  Desta forma, elas não causam doenças, mas o antígeno é estimula o sistema imunológico para proteger contra a determinada enfermidade.

Elas estimulam o organismo a produzir anticorpos contra bactérias e vírus. Ao entrar em contato com um antígeno desconhecido, o corpo passa a produzir anticorpos contra ele. Além disso, o organismo também desenvolve células da memória. Elas permitem que o sistema imune da pessoa vacinada aja de maneira mais rápida e evita que a doença se desenvolva, caso seja exposta ao vírus ou bactéria. Ou seja, a vacina age de forma preventiva.

Tipos de Vacina

Normalmente, cada vacina protege contra um único germe. Entretanto, existem vacinas que atuam em conjunto contra diversas doenças. Neste caso, em uma única dose de imunização, anticorpos diferentes são aplicados no paciente, como a tríplice viral, que protege contra o sarampo, a rubéola e a caxumba.

Várias doenças são prevenidas por vacinas atualmente: poliomielite, tétano, tuberculose, sarampo, febre amarela, hepatite, gripe, caxumba, pneumonia causada por pneumococos, rubéola, difteria, entre outras.

Quem deve se vacinar?

As principais imunizações são indicadas para bebês com até 15 meses e reforço até os cinco anos. Neste primeiro momento, a proteção é contra doenças mais graves como meningite, coqueluche, hepatite B e tuberculose. Além dessas enfermidades, as crianças também devem se proteger contra caxumba, gripe, rotavírus e poliomielite.

A proteção, entretanto, segue durante toda a vida. Na adolescência, as meninas de 09 a 14 anos e meninos de 12 e 13 anos têm indicação da vacina contra HPV. Na vida adulta, costuma-se negligenciar o calendário de vacinação, mas existe uma série de vacinas que devem ser tomadas ou reforçadas por homens e mulheres, entre elas: a dupla bacteriana (difteria e tétano), tríplice bacteriana (difteria, tétano e coqueluche), hepatites A e B e gripe.

Os idosos também precisam se vacinar contra gripe, pneumonia pneumocócica, tétano, difteria, hepatites, herpes zoster, tríplice viral e meningite meningocócica. Algumas vacinas são indicadas em todas as faixas etárias, mas nem sempre devem ser tomadas, como é o caso da proteção contra a febre amarela, que depende da situação clínica de cada paciente e também das áreas de risco.

Qual a eficácia das vacinas?

Antes de ser disponibilizada para a população, cada vacina é submetida a uma série de estudos para comprovar sua eficácia e segurança, chegando ao público final apenas após ser considerada adequada para o consumo humano. “É importante destacar que para manter a qualidade e eficácia das vacinas todo o processo desde o transporte até a aplicação precisa ser realizado adequadamente, por isso é importante confiar no laboratório no qual será administrada a vacina”, destaca a enfermeira membro da Sociedade Brasileira de Imunizações e responsável técnica pelo Mello Vacinas.

Quais os cuidados necessários ao se vacinar?

Apesar de existir um entendimento da população que pessoas com resfriados e pequenas indisposições devem aguardar por estar totalmente recuperado para tomar vacinas, tal cuidado não é necessário. A pessoa não deve se vacinar apenas se apresentar febre ou alguma doença mais grave como infecção urinária, pneumonia e outros quadros virais. Também não é indicada a vacinação para crianças que estiverem utilizando medicamentos como corticoides, que diminuem a imunidade.

Existem contraindicações nas vacinas?

Algumas vacinas possuem contraindicações, especialmente, as de bactérias ou vírus atenuados, ou seja, produzidas a partir de agentes vivos como a vacina da febre amarele, tríplice viral e catapora. Nestes casos, a contraindicação é para pacientes com câncer ou imunossuprimidos, como portadores de AIDS ou transplantados, gestantes e indivíduos em tratamento com alta dose de corticoides.

Em casos específicos, é possível haver alergia a algum componente de cada vacina. Por isso, o ideal é consultar um médico alergologista para verificar a indicação ou não da imunização. Os principais elementos alergênicos encontrados nas fórmulas das vacinas são o ovo e a gelatina, presentes na tríplice viral, febre amarela e gripe, por exemplo.

– Existem efeitos colaterais nas vacinas?

As vacinas, de maneira geral, não apresentam muitos efeitos colaterais e são bem toleradas pela maioria da população. Entretanto, quando há uma reação, costumam ser leves e não precisam de um tratamento específico para cessar os sintomas. “As reações podem ser locais, quando há uma vermelhidão inchaço ou outra anormalidade onde foi aplicada a vida, ou sistêmica, causando sintomas como febre, dor de cabeço e mal-estar”, acrescenta Mayra Moura, enfermeira mestre em tecnologia de imunibiológicos pela Fiocruz e assessora do serviço de imunização do Mello.

– Quais vacinas o Mello oferece e quais unidades do Mello oferecem vacinação?

Na Unidade Tatuapé, o Mello Centro de Diagnóstico oferece as vacinas licenciadas pela Anvisa e comercializadas na rede privada: Catapora, Caxumba, Coqueluche, Dengue, Difteria, Doenças Meningocócicas e Pneumocócicas, Febre Amarela, Febre Tifóide, Gripe, Haemophilus tipo b, Hepatites A e B, Herpes Zoster, HPV, Poliomielite, Rotavírus, Rubéola, Sarampo e Tétano.

O maior compromisso do Mello é garantir a qualidade dos produtos e serviços oferecidos. Contamos com colaboradores e assessores especialistas em imunização com experiência em mais de 10 anos. Entendemos que garantir a eficácia da vacina através do correto armazenamento e administração deve ser nosso principal objetivo. Além disso, nossos colaboradores são capacitados em avaliar a necessidade individual de cada pessoa.

– Vacinas possuem cobertura em planos de saúde? – Quanto custam as principais vacinas? (caso o valor seja competitivo)

A cobertura de vacinas por planos de saúde varia de acordo com o plano. Alguns oferecem a possibilidade de reembolso parcial ou total.  Os valores são de acordo com o praticado no mercado e variam dependendo da imunização solicitada.

Fontes:

Maytê Cortêz: Enfermeira, responsável técnica pelo Mello vacinas, pós-graduanda da Universidade Federal de São Paulo, atua há 2 anos no setor privado de imunização e membro da Sociedade Brasileira de Imunizações.

Mayra Moura: Enfermeira, mestre em tecnologia de imunobiológicos pela Fiocruz, atua há 10 anos em imunização dos setores público e privado como consultora independente e faz parte da Diretoria da Sociedade Brasileira de Imunizações.